3 situações no trabalho que você não é obrigado a aceitar

Não é porque você foi contratado pela empresa que você deve aceitar tudo.

A lei trabalhista impõe alguns limites que as empresas devem observar.

Hoje, vamos falar de 3 situações no trabalho que você não é obrigado a aceitar.

ADVOGADOS TRABALHISTAS
Advocacia e Consultoria Trabalhista
Mais de 18 anos de experiência

Se gostar do nosso conteúdo, não deixa de seguir a gente no Instagram e no TikTok. Nós postamos dicas diárias sobre os seus direitos por lá.

No trabalho, você não é obrigado a:

1 – Fazer mais de 2 horas extras no dia

Primeiro, para fazer um minuto de hora extra, já deve existir um acordo entre as partes.

As horas extras, em regra, devem ser acordadas entre empregado e empregador.

A lei brasileira limita o número de horas extras diárias em, no máximo, duas.

Portanto, a empresa não pode jamais exigir que você faça mais do que 2 horas extras de trabalho no dia.

Você pode se recusar com toda certeza.

Contudo, se você trabalhar essas horas, você deve receber pelas horas trabalhadas com o adicional de hora extra.

E ainda tem mais: as horas extras trabalhadas além da segunda hora não podem ir para banco de horas: devem ser pagas com o adicional já no mês seguinte.

2 – Trabalhar sem receber vale transporte

O vale-transporte é um direito de todo trabalhador.

Aliás, é um direito básico, pois, em regra, você precisa se deslocar da sua casa até o local de prestação dos serviços.

Se a empresa não cumpre a obrigação básica de pagar o vale-transporte, você não está obrigado a tirar dinheiro do seu bolso para ir até o local de trabalho.

Dessa maneira, você pode, sim, se recusar a ir até o local de trabalho, sem nenhuma punição, caso a empresa não pague o seu vale-transporte na forma da lei.

3 – Trabalhar sem receber o EPI

O EPI (equipamento de proteção individual) é essencial para inúmeros tipos de trabalho.

Para enfermeiros e médicos, por exemplo, a máscara é um EPI essencial.

Já para os trabalhadores da construção civil, o capacete que protege a cabeça é indispensável.

Se o seu serviço demanda um equipamento de proteção individual específico e a empresa não disponibilizou, você pode, sim, se recusar a trabalhar.

A segurança do trabalhador está em primeiro lugar.

A lei jamais permitiria que você fosse obrigado a trabalhar sem o EPI necessário para desenvolver a sua função.

Se a empresa não forneceu o EPI necessário, você não é obrigado a trabalhar até que a situação esteja regularizada.

Entre agora no nosso canal do Whatsapp, clicando aqui.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

Fale com a gente agora!